Governança em Ambientes de BI

Por que é necessária?

A adoção de programas de Business Intelligence nas organizações traz uma série de benefícios inquestionáveis que fazem com que esse tipo de programa se torne estratégico ao longo do tempo.

O sucesso dos programas de Business Intelligence traz consigo algumas dificuldades importantes. Por um lado, a complexidade aumenta de fora acelerada conforme os assuntos tratados pelo sistema são adicionados e complementados. Por outro lado, novas idéias de utilização da informação surgem mais rapidamente do que a capacidade de atendê-las. O programa passa a envolver um número cada vez maior de recursos e a impactar número igualmente maior de áreas de negócio e de pessoas tornando cada vez mais difícil o processo de gerenciamento do ambiente e das demandas que precisam ser atendidas.

O que é Governança de BI

É nesse contexto que surge a necessidade de implantação de um programa de Governança de BI, que pode ser definida a partir de três diferentes perspectivas:

a) Como um exercício de racionalização de recursos – É a definição tradicional de Governança de BI. Um mecanismo de priorização dos projetos de BI que podem ser aprovados, rejeitados e seqüenciados com base em critérios específicos.

b) Como um conjunto de orientações / regras / recomendações – É uma maneira relativamente nova maneira de definir Governança de BI. Tradicionalmente as atividades de definição de arquitetura, padrões e melhores práticas a serem seguidos pelos programas de Business Intelligence são definidos pelas áreas de TI. No entanto, como empresas começaram a perceber o impacto que estas decisões têm sobre Projetos de BI tem havido uma tendência para fazer esses tópicos também façam parte da Governança de BI.

c) Como a definição de papéis e responsabilidades para ambas as partes de TI e de negócios – Projetos de Business Intelligence são por natureza altamente complexos. Estabelecer as responsabilidades das áreas de TI e de negócio nesse tipo de projeto torna-se fundamental para a obtenção de sucesso.

O Comitê de Governança

Um programa de Governança de BI passa pela criação de uma estrutura organizacional específica para esse fim, o comitê de Governança. Sua composição deve contar com representantes das áreas interessadas (stakeholders) que normalmente são as seguintes:

a) Negócios: Cada área de negócio / departamento deve nomear seu representante. Isto irá permitir igualdade de representação das áreas de negócio e, assim, proporcionar o fórum certo para tomar decisões. Os representantes de cada área de negócios são responsáveis por patrocinar projetos específicos para as suas unidades, explicando ao comitê de Governança os benefícios das iniciativas. Parte de sua responsabilidade incluirá a identificação de pessoas em suas áreas funcionais que darão suporte aos processos de Modelagem, Integração de Dados e definição de Front End a partir de uma perspectiva de negócio.

b) TI: A área de TI oferece o suporte de retaguarda para o comitê de Governança de BI. Sua responsabilidade é fornecer os recursos técnicos necessários para o estabelecimento, manutenção e evolução do programa de BI na organização. Ela é responsável por avaliar a viabilidade, os custos e os prazos de implantação das soluções desejadas e por conduzir os processos de planejamento, implantação e operacionalização das iniciativas aprovadas.

c) Alta Direção: Como projetos de BI são consideradas de natureza estratégica e como sua implementação pode facilmente superar a cifra de milhões de dólares é recomendável ter uma linha direta com a alta direção da empresa. Este link irá facilitar a priorização de projetos com base em alinhamento com as estratégia corporativa, ao mesmo tempo dá oportunidadeà equipe de justificar a infra-estrutura e os custos de desenvolvimento diretamente para as pessoas que aprovarão as iniciativas.

A Dinâmica do Processo de Governança de BI

Uma vez formado o Comitê de Governança de BI todas as definições estratégicas passam a ser tomadas neste fórum.

Os representantes das áreas de negócio serão responsáveis por participar das discussões internas de suas respectivas áreas e selecionar as iniciativas que serão levadas ao comitê. Uma vez no Comitê, eles serão responsáveis por defender as iniciativas de suas organizações, apresentando seus benefícios para o negócio e os motivos que levariam a sua priorização.

As iniciativas serão avaliadas por todos os integrantes do comitê levando em consideração o impacto para o negócio, a viabilidade técnica e o esforço necessário para operacionalizá-las. Nessa etapa a participação da área de TI é fundamental, aportando o conhecimento técnico necessário sobre o ambiente tecnológico e sobre a metodologia de implantação das soluções.

Uma vez aprovadas as iniciativas, os representantes das áreas de negócio de da área de TI serão co-responsáveis pela execução do projeto, enquanto a alta direção terá a responsabilidade de suportar as iniciativas, elevando a percepção de importância das mesmas perante os diversos níveis da organização.

O Comitê de Governança é responsável ainda pelo acompanhamento de cada iniciativa e por implementar ações corretivas sempre que necessário.

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *